quarta-feira, 19 de junho de 2013

Desafio N° 26 - Maratona de Porto Alegre

A GLÓRIA!
Graças a Deus que foi na raça, no amor e na paixão!

Este final de semana fui participar da minha segunda maratona em dois anos de corridas de rua, a primeira foi no ano passado na maratona de Foz do Iguaçu - PR, a qual tive que abandonar no km 39 pois não aguentava nem caminhar naquela ocasião.

Em Porto Alegre tudo seria diferente, pelo menos foi com esse pensamento que viajei no sábado com destino a capital gaúcha. O vôo até atrasou cerca de duas horas devido ao tempo, e cheguei às 16 horas, fui recepcionado pelo pessoal da organização que nos levou de van até a Expo, a feira do evento, onde foi entregue o kit.

Imaginava que seria diferente por vários motivos em relação a estreia em Foz:
- Não tinha mais o peso da estreia numa prova tão desafiadora;
- O percurso é todo plano, bem mais fácil que Foz, que é todo sobe e desce;
- O clima bem mais frio;
- O treinamento foi um pouco melhor, chegando a longo de 29 km.

Bom, isso tudo na teoria porque na prática... é outra história.

O grande dia:
Acordei às 5 horas e fui no trote até a largada, cerca de 4 km percorridos em 28 minutos. Antes da largada, a temperatura era de 12° e ainda estava noite.
Pontualmente às 7 horas sairam as mulheres e às 7:15 fomos nós!
No início, tudo tranquilo, senti apenas uma indisposição no estomago, provavelmente algum efeito de um remédio (Torsilax) que tomei logo após o café para amenizar a dor no lado externo do joelho esquerdo que vinha sentindo nos últimos dias desde a meia das Cataratas.

O ritmo era de cerca de 5:10 a 5:15 cada quilometro, estava ótimo e dentro do que eu imagina porque sabia que na segunda metade da prova o ritmo iria cair. A estratégia era de ingerir "apenas" 6 carboidratos em gel, a cada 6 km a partir do 10 km. Tudo corria bem, até eu corria bem... o percurso realmente ajuda muito, com ruas e avenidas bem largas. Lembro de ter passado o km 10 em 51:50, ritmo de 5:11/km muito bom!

No km 12 tinha o primeiro posto de hidratação de isotônico (Gatorade). No km 14, um terço da prova, meu tempo era em torno de 1:14:00, ritmo de 5:17/km. Pouco antes do km 15, percorremos a primeira e única subida da prova, bem tranquila, nada se comparada aos morros de Foz.

Estava num ritmo confortável, fazendo um pouco de esforço. Certa altura existe alguns retornos onde podemos ver o pessoal a nossa frente e depois os que vem atrás. Com mais de 1h30min de prova aparece o sol e dificulta um pouco. Seguimos numa longa avenida separada por um córrego no meio para alcançar a metade da prova, pelo tempo oficial da prova, passei a Meia com 1:52:19, ritmo de 5:20/km, SENSACIONAL!

Com esse tempo parcial, já imagina que seria sub 4 horas tranquilo. Mas falar em números absolutos em um esporte como este não funciona. Existem muitas interferências externas e internas que podem influenciar diretamente no resultado.

Dito e feito!

Começei a sentir um pouco de cansaço, acredito eu que pelo esforço em manter um ritmo de 5:20/km na primeira metade da prova. Percebo que preciso fazer um esforço enorme para manter as pernas em movimento e vejo que o ritmo por km cai para 5:30, depois 5:50 e no km 26 já estava acima de 6 minutos. As pernas ficaram pesadas e comecei a sentir dores musculares. O ritmo caiu ainda mais e quando estava em 6:30 por volta do km 28 abandonei o cronometro, e toda a estratégia da prova foi para o lixo, o importante naquele momento era terminar a prova! só que para isso ainda faltavam 14 km e a cabeça já não ajudava tanto porque vários corredores me passavam. No km 29 senti as dores no joelho, parece que quando as coisas não estão bem tem alguma coisa que piora, mas Graças a Deus foi apenas duas "fisgadas" que me fizeram caminhar e logo passou. Tomei os carboidratos em gel, antecipadamente na segunda metade da prova para ver se mudava alguma coisa em relação as minhas energias e força de vontade para concluir a prova. Até que surtiu algum efeito, entre umas caminhadas de 50 metros e trotes consegui manter o foco na prova.

Os km não chegavam, pareciam que tinham uma milha (1600 metros) ou mais porque estava difícil. Queria logo terminar aquilo e ir para a pousada, tomar um banho e deitar. Entre vários pensamentos, o principal era de nunca mais participar de maratona! é muito sofrido! pensava na minha mãe, na minha noiva, na minha família... que eu tinha que chegar... na raça!

Os últimos km de uma maratona é ao mesmo tempo desagradável e glorioso. Vejo pessoas se "arrastando", caminhando, com caibras, com muitas dores... e na sequencias emocionados dizendo: eu vou vencer!

A melhor sensação que existe numa maratona é ver o pórtico de chegada! me senti realizado, da vontade de gritar, extravasar mas não tinha forças, da vontade de chorar, gera uma emoção indescritível e aquela coisa ruim de nunca mais participar se transforma e torna uma realização pessoal, UM DESAFIO SUPERADO! 

No fim, o tempo já não era mais importante... e Graças a Deus completo com 4:22:24 (tempo líquido), ritmo de 6:14/km. Percebo que a diferença entre a primeira meia e a segunda, foi enorme, de 1:52:19, ritmo de 5:20/km, a segunda 2:30:20, ritmo de 7:08/km. Apesar do mal tempo na metade final da prova, só o fato de completar este desafio valeu a pena, principalmente porque foi a primeira maratona que eu completo!

Poderia ter sido melhor, concerteza... mas para isso terei que fazer algum tipo de fortalecimento muscular para completar a próxima maratona sem caminhar e sem sentir tantas dores.

Correr é assim. Um misto de dor e prazer, sofrimento e satisfação. Ao concluir o percurso, seja ele qual for, a sensação do dever cumprido supera qualquer dificuldade encontrada pelo caminho!

Dados pessoais

Prova - 30ª  Maratona de Porto Alegre
Cidade - Porto Alegre - RS
Distância - 42 km
Tempo - 4:22:24
Ritmo - 6:14
Velocidade média - 9,65 km/h
N° Peito - 796
Colocação Masculino - 1019°  de 1319
Colocação Categoria - 56° de 71 cat 25-29 anos

Avaliação da prova

Percurso - o mais plano das maratonas no Brasil. Realmente para quem quer estrear ou melhorar seu tempo, esta é a maratona "menos difícil". Apenas uma leve subida, no restante tudo sossegado.
Hidratação - Exatamente como tem que ser, parabéns a organização, pois tinha água a cada 3 km e isotônico nos km 12, 18. 28, 34 e 40.
Medalha - Muito filé, de metal que forma o número 30, com o nome da prova, a cidade e a edição. Além de ser grande e bem destacada.
Organização - Eu tiro o chapéu, desde a chegada no aeroporto para levar os corredores até a retirada do Kit e depois aos hoteis conveniados, pessoal orientando, largada pontual.
Inscrição - Na minha opinião único ponto fraco. Eu achei caro, paguei R$95,00 (isso antecipado, teve gente que pagou até R$115,00) sem direito a jantar de massas e o kit meio fraco pelo valor, só tinha uma camiseta e uma toalha de secagem rápida.
Premiação - Para os elites, muito boa em dinheiro até o 10° lugar e até o 5° lugar nas categorias.

Concluintes - 1595 (264 mulheres, 1319 homens e 12 PNE).

Obs.: tinha também uma rústica de 8 km e a maratona em duplas, quartetos e octetos.


Embarcando...

Chegando a Porto Alegre

Retirada do Kit

Horário próximo a largada...

... e a temperatura

Logo após a prova

Com a bela medalha

No pórtico de chegada ao meio-dia

Pórtico de novo

Mais uma para a coleção

Na Igreja Matriz, Catedral de Porto Alegre
De volta pra casa


Clique do Foco Radical


Aqui tava muito difícil


Na raça



Passada curta...


Devagarzinho...


Em marcha lenta...


Haja força de vontade...


No começo passadas firmes...


Chegada com muita dedicação...


Homenagem a minha noiva!


Maratona é assim mesmo: alegria e satisfação de completá-la



CORRIDADERUAFOZ.BLOGSPOT.COM


3 comentários:

  1. Robson,
    Parabéns pelo desafio de correr e concluir a Maratona de Porto Alegre.
    Seu relato além de emocionante, traduz o que é correr uma maratona.
    Sua avaliação de erros e acertos será o diferencial para o próximo desafio.
    Ultra abraço e bons treinos!!!
    Dionisio Silvestre
    http://correrpurapaixao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Maratona é sofrimento puro mesmo Robson. Principalmente depois que ultrapassa o km 30. Mais a satisfação quando se cruza o pórtico de chegada a emoção é gigantesca. Parabéns e que venha muitas outras.
    Em 2014 pretendo correr esta prova.

    Grande abraço e boas corridas.


    tutta/Baleias-PR
    www.correndocorridas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Hi, nice post. Would you please consider adding a link to my website on your page. Please email me back and I would be happy to give you our link.

    Thanks!

    Frank
    frank641w at gmail.com

    sports news

    ResponderExcluir